SP Sem Fio – PM de São Paulo reclama de autonomia e das teles

Apesar de reportar avanços nos programas de enterramento e reordenamento de redes áreas na cidade de São Paulo, a Prefeitura do município ainda se sente de mãos atadas para fazer mais. Durante balanço das iniciativas empreendidas ao lado da concessionária de energia Enel e das teles que operam na capital paulista, o secretário municipal da pasta de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), Vitor Aly, lamentou a dificuldade na interlocução com operadoras, os desafios na busca por prestadores de serviços de engenharia e a falta de autonomia da gestão
municipal para ordenar ajustes na infraestrutura aérea.
Desde 2017 a PM São Paulo vem fazendo um enorme trabalho de interlocução. Mas, como no Programa SP Sem Fios (uma das várias iniciativas para ordenamento da infraestrutura na capital), há um enorme problema na articulação com o setor de telecom, composto de pelo menos 40 Prestadoras e mais a distribuidora ENEL, que gerencia a ocupação dos postes. Segundo o secretário, a prefeitura se sente de mãos atadas.
Mas este problema se estende ao país todo!