Seja bem-vindo à CG&Consultores

(35) 3471-1584 | (35) 3471-4311

Telecom

PROCESSO DE OBTENÇÃO DA OUTORGA AS E BLOCOS DE IPV4 E IPV6.

AS – SISTEMA AUTÔNOMO (AUTONOUMUS SYSTEM)

O QUE É

Um Sistema Autônomo (AS) é um conjunto de redes IP, independentes, abaixo de uma única gerência técnica e que compartilham uma mesma política de roteamento. Possui autonomia de decisão para as diferentes opções de caminhos externos (conexão com outros AS).

ASN é uma identificação única e global de um AS, e foi inicialmente definido como um número inteiro de 16 bits, variando assim de 0 a 65.535 (IPv4). Atualmente ampliou-se para 32 bits (4-octet), variando de 0 a 4.294.967.295 (IPv6). Cada AS tem seu número de identificação ASN.

As organizações que recebem endereços IP são classificadas como “ISP” (provedores de serviços e acesso à Internet) ou como “Usuário Final”.

Provedores de Serviço e Acesso Internet (ISP) são classificados de acordo com a quantidade de endereços IP (IPv4 ou IPv6) a eles alocados. As categorias são: “Small/Micro”, “Small”, “Medium”, “Large”, “Extra Large” e “Mayor”.

A definição da categoria de um ISP leva em consideração a quantidade de endereços IP alocados na atualidade. São consideradas as quantidades de endereços IPv4 ou IPv6, a que abranger a maior faixa de endereços na definição da categoria.

Usuários Finais são as organizações que utilizam os recursos Internet somente para sua própria infraestrutura e não para prover serviços a terceiros.

Esta classificação é de uso exclusivo junto ao Registro.br e não tem por objetivo determinar o tipo de serviço prestado pela organização.

O IP – Internet Protocol (Protocolo da internet) é um componente importante da internet, sendo a principal base tecnológica da rede. Este Protocolo é a camada lógica que separa as telecomunicações da internet.

As informações são dividas em pacotes e etiquetadas com os endereços IP de origem e destino. Estes pacotes por sua vez viajam de forma independente pela internet.

Vantagens de ser um AS

A organização torna-se independente de provedor. O processo de troca do provedor de acesso a Internet passa a ser mais simples, pois não envolve mudanças de configuração interna da rede.

Seus Clientes terão acesso à IP Válidos, o que melhora a utilização de algumas aplicações e facilita o processo de rastreabilidade de Clientes (segurança).

Sua rede poderá ter acesso a conexão a internet por rotas distintas, promovendo assim pela conexão com 2 ou mais provedores, aumento da disponibilidade dos serviços prestados.

Possibilita a conexão da entidade com pontos de troca de tráfego (PTT) e o estabelecimento de acordos multilaterais e bilaterais, o que pode resultar em economia de recursos com a contratação de banda e melhor qualidade de interconexão.

Pré-requisitos para ser um AS

    • De preferência ser multi-homed (ter 2 ou mais conexões independentes à Internet ou então uma conexão com uma operadora e uma conexão a um PTT), porém não é um impeditivo;
    • De acordo com as regras atuais a alocação mínima é de um /22. A entidade deve justificar o uso inicial de pelo menos 25% deste bloco (~ 1000 endereços IPs). Podendo solicitar mais outra quantia desta a cada 6 meses;
    • Para o IPv6, o pré-requisito atual é possuir alocação IPv4;
    • A alocação mínima para IPv6: /32 para ISP e /48 para Usuário Final.

Observação

Em breve, entraremos na última fase de “Terminação Gradual” do IPv4. Neste momento, apenas novos ASN poderão fazer solicitação de no máximo um /22.

Investimentos

Inicial NIC.br

A alocação de Recursos de Numeração tem um custo e se refere principalmente aos serviços prestados pelo Registro.br.

Tais custos variam de acordo com o tipo de organização e quantidade de recursos alocados. E para alguns recursos há um custo recorrente anual a título de manutenção da alocação e por conseguinte acesso aos serviços prestados.

Alocações adicionais de blocos de endereços IPv4 ou IPv6 a ISPs não têm custo associado no ato do pedido. No entanto, a organização deve estar em dia com suas obrigações junto ao Registro.br. Se ao receber o novo bloco e o titular (entidade) mudar de categoria, o novo valor será cobrado apenas na renovação.

Para os ISP´s os custos variam conforme o tamanho da categoria, que vão de R$2.300,00 a R$ 92.000,00.

Para Usuários Finais, a alocação de blocos de endereços IP tem um custo de acordo com a quantidade de endereços solicitada e aprovada.

A tarifa é cobrada por cada ato de alocação, seja inicial ou adicional. Variam de R$ 7.130,00 à R$ 12.880,00 (Custo inicial + manutenção Anual).

Posteriormente, as organizações Usuários Finais que contam com alocações de endereços IP deverão pagar uma tarifa de manutenção de valor fixo e independentemente da quantidade de endereços IP a ela alocados.

Observação:

Atualmente, foi acionada a política de terminação gradual dos blocos IPv4 e apenas a categoria Small/Micro está disponível.

contratar o serviço